Exposição de Vasco Prado reabre Museu Municipal Hugo Simões Lagranha

Desenhos e gravuras de Vasco Prado marca a reabertura do Museu Municipal Hugo Simões Lagranha, na Casa dos Rosa em Canoas. A exposição vai apresentar 21 peças, entre desenhos e gravuras criados pelo artista em um amplo corte temporal. Além da apresentação das obras, cedidas pela artista Zoravia Bettiol, está prevista a transmissão de uma Live com a participação de artistas locais para marcar a retomada do funcionamento do espaço cultural no Parque dos Rosa em Canoas. A transmissão online acontece no dia 28 de janeiro, quinta-feira, a partir das 19h diretamente do Museu Municipal na Casa dos Rosas. Já o espaço estará aberto ao público a partir do dia 29.

Performance ao vivo de artes visuais com o Fabiano Gummo, apresentações de dança contemporânea com Daniele Costa e Grupo Canoas Coletivo de Dança, música instrumental com Dirruá Assunção, hip hop com a Grazy Liz, tradicionalismo com Waldir Moraes e capoeira com o grupo Angola Brasil estão previstas para a reabertura, nesta quinta-feira (28). A Casa dos Rosa, que sedia o Museu Municipal, estava com as atividades interrompidas desde o início da pandemia de Covid -19.  “A exposição com as obras do Vasco Prado coloca Canoas no sistema das artes do Rio Grande do Sul. Ao mesmo tempo, queremos dar vida aos espaços culturais e valorizar o trabalho dos artistas locais”, destaca o secretário municipal de Cultura, Pinheiro Neto. A curadoria das obras da exposição Vasco Prado: desenhos e gravuras conta com o historiador Airan Milititsky Aguiar e o artista visual Fabiano Gummo, que também é professor de Artes na rede pública de ensino em Canoas.

Saiba Mais:

* Vasco Prado (Uruguaiana, RS, 1914 – Porto Alegre, RS, 1998) foi um expoente chave na organização do campo artístico gaúcho, sendo reconhecido como gravador, escultor, tapeceiro, ilustrador, desenhista e professor. Sua criação está presente em monumentos públicos e sua produção compõe o acervo de inúmeros museus no Brasil e no exterior.

* As obras de Vasco Prado apresentam temáticas ligadas aos valores regionais, como o tema do cavaleiro e do cavalo, em que a figura humana é representada com um amplo sentido de dignidade, e o animal, com atributos de força e altivez, mas também com suavidade.

* Junto à exposição Vasco Prado: desenhos e gravuras há uma pequena mostra de artistas do Clube da Gravura (Danúbio Gonçalves, Glênio Bianchetti e Plínio Bernhardt). Fundado por Vasco Prado e Carlos Scliar, o Clube da Gravura foi momento importante de inflexão da produção artística no Rio Grande do Sul em meados do século XX, sendo o pioneiro do gênero no país.

* Considerada uma das edificações mais antigas de Canoas, datada do início do século XX, a Casa dos Rosa, que sedia o Museu Municipal Hugo Simões Lagranha, foi utilizada pela família dos Rosa até 1979. Em 2009, o imóvel foi tombado como patrimônio histórico. Após ser restaurado, o prédio foi inaugurado como espaço cultural em 2016, na gestão do prefeito Jairo Jorge.

Agende-se:

O que: Vasco Prado: desenhos e gravuras (Coleção Zoravia Bettiol)

Curadoria: Airan Milititsky Aguiar e Fabiano Gummo

Quando: Apresentação com transmissão online no dia 28/01 e abertura ao público a partir de 29/01

Onde: Museu Municipal Hugo Simões Lagranha – Parque dos Rosa (avenida Victor Barreto, 2186 – Centro, Canoas)

Horário: De segunda a sexta: das 9h às 18h. Sábado: das 14h às 18h

* Todos os protocolos sanitários de prevenção à COVID-19 serão aplicados, obrigatoriamente, na visitação da população.

Os Curadores:

Airan Milititsky Aguiar possui graduação em História pela PUCRS (2004), graduação em Ciências Sociais pela Ufrgs (2011) e mestrado em História pela PUCRS (2009). Atualmente ingressa no Doutorado em Filosofia – Fundamentação da Ética – na PUC RS.  Foi assistente da artista Zoravia Bettiol, auxiliando na produção e montagem da exposição retrospectiva – referente aos 50 anos dedicados pela artista às artes visuais –, bem como na editoração do livro homônimo, Zoravia Bettiol: a mais simples complexidade, no Museu de Arte do Rio Grande do Sul (MARGS – 2007). É gerente do Museu Municipal de Canoas desde 2014, sendo responsável por inúmeras exposições artístico-culturais. Participa da organização e gestão da Casa dos Rosa desde sua inauguração.

Fabiano Gummo é doutorando e mestre em Poéticas Visuais pela Ufrgs, licenciado em Artes Visuais pela UERGS (2013) e professor de Artes na rede pública de ensino em Canoas. Participou de ações e mostras dentre as quais se destacam as exposições individuais: 2017: um ruído (infra)ordinário (2019, Galeria Hipotética, Porto Alegre/RS-Brasil); Coração Gordo: A Multiplicidade Experimental (Centro de Arte da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), Pelotas/RS–Brasil); e as coletivas: Brazilian + Egyptian Urban Street Art, Bienal de Arte do Cairo (2018, Cairo – Egito); Livres et revues d’artistes: une perspective brésilienne (2018, Universidade Rennes 2 – França). Em sua poética trabalha o maximalismo excessivo e flutuante de signos e significados em auto publicações e livros de artista através do selo independente Ruído Publicações.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Abrir chat
Olá, podemos ajudar?
Olá, podemos te ajudar?