Casa Higienópolis abre suas portas

Avatar photo
Bebeto Azevedo
29/08/2022
Tempo de leitura: 5 minutes

Depois de quase uma década de minucioso trabalho de restauro e atualização, a Casa Higienópolis, antes conhecida como Palacete Nhonhô Magalhães, está aberta para receber eventos. A Casa Higienópolis, que atualmente pertence ao Shopping Pátio Higienópolis e fica localizada no complexo que inclui o próprio shopping e o Paço das Artes, começa a receber em seu espaço histórico e totalmente restaurado, eventos e atividades culturais, corporativos e privados com capacidade para até 250 pessoas, trazendo de volta todo o requinte e charme dos palacetes do século 19. Para a reabertura, foi realizado um minucioso trabalho de restauro e atualização que durou cerca de 10 anos.
“Depois de anos de restauro e as necessárias adaptações de acessibilidade para uso nos dias de hoje, é um grande orgulho presentear a cidade com a reabertura de uma casa que é um patrimônio e que retrata um percurso importante da história do bairro Higienópolis e da cidade de São Paulo”, afirmou Alexandre Biancamano, diretor de marketing da Iguatemi.

A HISTÓRIA
Há cerca de um século, o conhecido barão do café Carlos Leôncio de Magalhães, do Oeste Paulista, contratou o escritório de engenharia Siciliano & Silva, para conceber e construir seu palacete à avenida Higienópolis, bairro da Capital que à época se destacava por seus casarões. Segundo relatos e documentos da época, foram dois anos de projeto, que deveria incorporar pelo menos alguns desejos de Nhonhô Magalhães: área externa à semelhança dos palacetes franceses de meados do século 19, com jardim exuberante e ambientes internos para grandes festas, saraus e entretenimento cultural para a família e seus convidados. Lêoncio não chegou a ver casa concluída, falecendo em 1931 aos 52 anos – mas Ernestina, sua esposa, e seus filhos moraram no palacete da avenida Higienópolis, 758, por cerca de 15 anos. Em 1974, a construção tornou-se sede da Secretaria de Segurança Pública, que manteve sua estrutura. Em 2005, foi comprada pelo Shopping Pátio Higienópolis e administrada pela Iguatemi S.A. No edital de compra, havia a determinação de que parte do espaço fosse cedida para atividades culturais da Secretaria do Estado da Cultura (SEC). Em 2009, começou a restauração e, em 2019, a SEC, por sua vez, cedeu seu uso para sede do Paço das Artes, inaugurada em 25 de janeiro de 2020. Com 2.300 metros quadrados de área construída (7.002 metros quadrados totais), cinco pavimentos e um jardim externo que circunda toda a construção com plantas tipicamente usadas no início do século passado, a Casa Higienópolis (CH) retoma sua vocação no cenário cultural e histórico do bairro, com acréscimo de estar dentro do complexo Pátio Higienópolis que abriga o Shopping e o Paço das Artes. Entre as duas construções, se estende um Boulevard, com cafés, restaurantes e vegetação natural – com acesso direto do shopping que possui cerca de 300 operações – entre moda, lazer, gastronomia, o Teatro UOL e serviços. Além de sediar eventos culturais, corporativos e privados, periodicamente a Casa Higienópolis abrirá visitas monitoradas. Para o segundo semestre, está previsto o projeto Arq Tour, idealizado pelo shopping e que, além da CH, percorrerá outras construções históricas do bairro.

VISITANDO A CASA HIGIENÓPOLIS
Hoje tombada pelos órgãos Estadual e Municipal de Preservação de São Paulo (CONDEPHHAT – Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Artístico, Arqueológico Turístico do Estado de São Paulo; e DPH/CONPRESP – Conselho de Preservação do Município de São Paulo, respectivamente), a sua construção foi encomendada em 1927 e demorou cerca de 10 anos para ser entregue à família Magalhães. A sua arquitetura foi inspirada nos palacetes franceses, incorporando diferentes movimentos artísticos e arquitetônicos preferidos na época – como o neoclássico, o mourisco, o manuelino, Art Déco, Art Nouveau e Modernismo:
− Fachada tem detalhes Neoclássicos, como indicam suas colunas e capiteis
− Hall Principal tem detalhes mouriscos nos entalhes de madeira, pórticos, vitrais e pisos
− Escadaria principal e hall superior seguem o estilo Manuelino, pelos detalhes em marcenaria
e estuque
− Capela (andar superior) segue o estilo Art Nouveau
− Banheiros em Art Déco
− Teatro, com capacidade para cerca de 100 pessoas mais o camarote, segue o estilo Moderno
nos motivos decorativos, no piso e pintura de paredes
− Cada ambiente (salas e quartos) originalmente foi pintado de cores diferentes
– seguindo a técnica tromp’oleil (“engana o olho”) – pintura original por técnica de decapagem
com bisturi
− Pisos externos foram restaurados com pedra portuguesa e tijolos
− O projeto de paisagismo teve a missão de recuperar os jardins que envolvem o palacete. A
vegetação constituída de um corpo arbóreo expressivo é complementada por plantas que
iluminam o jardim, em ondas acompanhando os desenhos dos pisos. Flores e jabuticabeiras,
que povoavam o antigo pomar e que não podiam faltar nos jardins da época, foram trazidas
como testemunho de uma época. (por Ovadia Saadia – SP)

Para mais informações:

www.patiohigienopolis.com.br
#casahigienopolis