Pets: higiene bucal previne de doenças sérias nos rins e no coração

Avatar photo
Bebeto Azevedo
01/01/1970
Tempo de leitura: 3 minutes

Quantas vezes você levou seu pet ao dentista veterinário? Os animais, assim como os humanos, devem fazer a limpeza dos dentes periodicamente. Problemas como tártaro e gengivite são comuns em cães e gatos. A falta de higiene pode fazer com que o acúmulo da placa bacteriana seja responsável por uma série de problemas na saúde do pet. Se no ser humano essa questão pode causar infecções graves, nos animais não é diferente.

“Se o caso se agravar, a possibilidade de penetração das bactérias na corrente sanguínea do animalzinho é grande. Diante disso, problemas renais, intestinais, hepáticos e cardíacos podem afetar o seu melhor amigo. Além disso, dor e falta de apetite são indicativos de que é preciso higienizar os dentes do pet. Essa condição pode levar à anemia e outros problemas relacionados à alimentação”, revela a veterinária da Nutrire, Cecílie Papais.

Uma pesquisa da Animal Foundation revela que 80% dos cães com 3 anos de idade possuem doença periodontal. “Esse dado é preocupante, visto que a consequência disso é a saúde do animal como um todo e que, muitas vezes, em casos mais severos, pode levar à extração de dentes”, acrescenta a especialista da Monello Select.

A premissa de que a prevenção é o melhor remédio serve também para os animais de estimação. “A escovação diária do dente de cães e gatos é o que pode evitar doenças graves e o que provê a saúde e o bem-estar bucal do seu pet”, diz. Cecília completa que para identificar a presença de tártaro, basta observar sintomas como mau-hálito, dentes escuros e sangramentos na gengiva.

“Quem leva o pet frequentemente ao veterinário é orientado conforme a necessidade de cada animal. A periodicidade da limpeza vai ser determinada pela idade e condição de saúde de cada pet. Somente o especialista pode fazer o diagnóstico e orientar as medidas de prevenção e/ou correção do problema”, alerta.

Cecílie tranquiliza os tutores que tem medo do procedimento de limpeza, “Muitas pessoas acreditam ser arriscado fazer a higienização bucal do seu pet nas clínicas, mas é mais arriscado ainda deixá-los sem esse atendimento. A sedação é necessária para que o animalzinho seja controlado e o médico possa limpar cantos mais escondidos. Ademais, são realizados exames prévios para verificar a saúde geral do pet. Vale ressaltar que diversas técnicas sedativas podem ser utilizadas, opções cada vez mais seguras”, explica.

Escovar os dentes dos cães e gatos em casa também faz parte da prevenção. “A primeira dica é a mais importante: utilize apenas pastas específicas para animais, qualquer outra pode causar intoxicação. Depois, introduza a escovação dentária aos poucos, sem pressão”, indica.

Alguns pets demonstram resistência à escovação, por isso, iniciar aos poucos faz toda diferença “Uma gaze antes da introdução da escova é fundamental, mais ainda no processo de adaptação do pet. Escolha um momento tranquilo. O cuidado com a gengiva é importante, pois a boca do animal é mais sensível do que a do ser humano”, acrescenta.

Há escovas próprias para animais de estimação, anatomicamente feita para a estrutura bucal deles. Chame-o carinhosamente pelo nome antes de iniciar o processo de limpeza e parabenize-o ao final. Dessa forma, tem grandes chances do bichinho associar esse momento com algo muito bom.